Para que serve a astrologia?

Muito já foi escrito sobre Astrologia, contra e a favor. Muito com base em pré(conceitos), a maioria por falta de conhecimento, de estudo sério que busque entender o porquê do conhecimento astrológico perpetuar-se por tantos milênios. 

O argumento de que a Astrologia é um celeiro de superstições vale também para a ciência, basta buscar na história da ciência e encontraremos muitas superstições que embasaram a busca do conhecimento científico e sobrevivem até hoje como alertava Theodore Roosevelt “Existe superstição na ciência tanto quanto existe superstição na Teologia, e isso é muito perigoso porque os que sofrem disso estão profundamente convencidos que eles estão se libertando a si mesmos de toda a superstição” (The search for truth in a reverent spirit). A ciência quer manter-se o mais longe possível do mundo místico ou da magia, da mesma forma que uma adolescente quer manter sua imagem deslocada de uma mãe brega ou que ela tenha vergonha. Esse jogo está mais presente entre Astronomia e Astrologia.

As pessoas que desconhecem a base de estudos da Astrologia confundem horóscopo com Astrologia, assim como confundem pesquisa básica com pesquisa avançada. O horóscopo representa 0,1% da aplicação de uma pesquisa básica em Astrologia, e mesmo assim sua aplicabilidade é muito deturpada e falseada. É com base, principalmente nessa parte deturpada dos horóscopos que os detratores da Astrologia gostam de tentar “provar” que a Astrologia não passa de superstição.

Essa cegueira é até natural, afinal somente 1% do universo é visível, os outros 99% do universo é composto por 4% de átomos invisíveis, 25% de matéria escura fria e 70% de energia escura. Essa composição do universo abre um espaço enorme de pesquisa que comprova porque a Astrologia funciona e quais seus fundamentos, pois há uma série de padrões de energias que nossa tecnologia não consegue mensurar, inclusive que derrubam argumentos pueris de certos cientistas que confundem os padrões astrológicos com a força da gravidade dos planetas: “Esta é a região controlada pelo que é chamado de interações fortes e fracas. Essas forças só são ativas em escalas menores do que átomos. A gravidade não tem importância nenhuma nessas escalas.” (Panorama visto do centro do universo,p.197,Primack e Abrams).

Os pesquisadores de Astrologia estão trabalhando no escuro, seja porque não procuram se destacar, seja porque o próprio modelo científico é excludente de qualquer conhecimento fora de seus padrões, de seus limites: “Após se banida da fraternidade das ciências, a Astrologia parece estar destinada a assumir um papel central no pensamento científico.” (John Addey,p.9 Guia Prático de astrologia médica).

Embora qualquer tentativa no Brasil seja logo tratado como decisão tomada e a sentença é a fogueira para esses bruxos, como ficou exposto entre um colunista da Folha de São Paulo e o Núcleo de Estudos de Fenômenos Paranormais da Universidade de Brasília, em 2005: “Diante do exposto, o NEFP repudia a forma como o editorialista Hélio Schwartsman se refere ao evento que ocorrerá na universidade. O documento de tão respeitado veículo de comunicação põe em xeque a reputação da Universidade de Brasília por esta compactuar com evento de tamanha envergadura em suas dependências. Cabe ressaltar que o referido texto fere os Direitos e Garantias Fundamentais garantidos a todos os cidadãos pela Constituição Federal ao afirmar que “não está se insurgindo contra o princípio da liberdade acadêmica (…) mas mesmo este precisa ser utilizado com algum bom-senso”. Esse é um argumento tipicamente utilizado quando se pretende efetivar ações de censura ou de cerceamento. Em suma, o NEFP espera que os críticos mais ferrenhos não se permitam o esvaziamento de seu intelecto diante do temor ao desconhecido, e reconheçam a condição dos seres humanos como inacabados e, portanto, sempre carentes de novos conhecimentos. A finalidade das pesquisas é, justamente, refutar a visão fatalista que coloca a Astrologia como crença sem, no entanto, buscar conhecê-la.

Ciente de que as verdades são provisórias, o grande desafio do NEFP é o de estimular a curiosidade científica, analisar as incertezas, conceber o inconcebível e, principalmente, respeitar opiniões antagônicas. Não obstante as críticas nesta árdua caminhada, o NEFP aspira à superação dos obstáculos por meio da perseverança de seus colaboradores/pesquisadores, pessoas comprometidas com um trabalho sério que possa trazer possíveis contribuições à sociedade. O momento é propício para deixar registrado o imenso pesar do NEFP em relação a pessoas que julgam e condenam seus trabalhos sem a preocupação de conhecê-los nem de refletir e analisá-los criteriosamente, apoiados em fundamentos mais sólidos e consistentes.” (ver em http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u13587.shtml)

Muitas pesquisas interessantes estão sendo desenvolvidas, como a relação entre os níveis do pH do sangue e do ácido úrico e a Lua, da relação de acidentes e a influência astrológica (Charles Carter), de várias relações estatísticas elaboradas com metodologia e métodos imparciais realizado por Gunter Sachs em The Astrology File e muitos outros desenvolvidos por instituições de nível superior ou divulgados por instituições especializadas como: Vakschool voor Medische Astrologie Asclepios (curso de Astrologia Médica, em 4 anos, em Amsterdam,Holanda); Astrology and Medicine Newsletter (http://www.astrologer.com/aanet/pub/medicine/index.htm); Faculdade Kepller, nos EUA (http://www.kepler.edu); Conselho Nacional para a Pesquisa Geocósmica, nos EUA (http://www.geocosmic.org/); C.U.R.A . Centre Universitaire de Recherche em Astrologie. Centro Universitário para Pesquisa em Astrologia. França (http://cura.free.fr); AAGB. The Astrological Association of Great Britain. Associação dos Astrólogos Britânicos. (http://www.astrologicalassociation.com/); AFA. American Federation of Astrologers. Federação dos Astrólogos Americanos. (http://www.astrologers.com); FAAINC. Federation de Astrologers Australian. Federação dos Astrólogos Australianos. (http://www.faainc.org.au); Academia de Estudos Astrológicos, em Portugal (http://www.academiadeastrologia.com) e Central Nacional de Astrologia – CNA, no Brasil (http://www.cnastrologia.org.br) e muitos outros.

O importante a compreender sobre o tema “para que serve a Astrologia?” É entender como a humanidade chegou a esse ponto, de grau de ignorância sobre um saber secular que está impregnada no inconsciente coletivo de todo ser humano? Ou alguém duvida que uma pessoa mediana sabe algum conceito ou definição de alguma ciência moderna? Em contraponto que a maioria das pessoas em todo o mundo sabem qual são seus signos solares e parte desse contingente sabe seu signo ascendente? O que aconteceu para esse rompimento?

Na verdade é uma questão ideológica, na idade média quando a igreja dominante estava impondo sua ideologia, chamada de obscurantismo, queimando pessoas com base em suas superstições, um grupo de intelectuais (Iluminismo) desenvolveu um método que pudesse se aproximar mais da verdade dos fatos objetivos e assim salvar muitas vidas, essa foi a emergência histórica, secundariamente a busca do conhecimento, daí nasceu o racionalismo e o atual método científico, que depois de tantos séculos ainda não foi aperfeiçoado, dessa conjuntura histórica também nasceu todo um conjunto ideológico contrário a tudo que remontasse aquele período, só que hoje as vítimas continuam as mesmas, porque a Igreja adotou o racionalismo que passou a fazer parte do padrão da sociedade, e a Astrologia passou a ser combatida pela Igreja e pela ciência por motivos ideológicos distintos, mas ambos sem base de pesquisa ou por questões de conhecimento.

O que temos hoje é que a ciência de modo geral, e a Física e Astronomia de modo particular, expulsaram Deus de seus sistemas lógicos, o universo resumiu-se a um amontoado de objetos ou energias que possam ser mensuradas, governadas pelo acaso e pelo caos. O Deus da Igreja resumiu-se a uma entidade mercantilista que cobra vários tributos de suas ovelhas. A Astrologia é um dos poucos redutos onde um Deus Magnânimo, que arquitetou com beleza, ordem e lógica todo o universo, pode ser encontrado e sua lógica interpretada. 

PUBLICADO ORIGINALMENTE EM 04.09.2009 no site Debates Culturais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS PERIGOS DA LUA CHEIA

AMOR E SEXO: ARQUÉTIPOS ASTROLÓGICOS

O Poder e o Tempo.