AMOR E SEXO: ARQUÉTIPOS ASTROLÓGICOS



Embora a tradição astrológica ensine que o par ideal, de acordo com o signo ascendente, seja o signo oposto, essa é uma meia-verdade, melhor dizendo 25% da verdade, baseado no estudo de centenas de mapas, cheguei a conclusão que os casais se formam de acordo com a Cruz das Triplicidades Espaciais Temporais, formando quatro padrões, de possíveis parceiros, divididos nas 3 cruzes: a Cruz Cardinal, a Cruz Fixa e a Cruz Mutável:

“ Em astrologia dividimos os 12 signos, também, em quatro triângulos ou em três quadrados, de acordo com as relações entre os signos nas dimensões espaço-tempo. As triplicidades são tradicionalmente chamadas de Cardinais, Fixas e Mutáveis que em seus aspectos temporais podem ser classificadas respectivamente em presente, futuro e passado. Já em seus aspectos espaciais, representados pelas casas astrológicas, que são os espaços do mapa astral divididos em 12 casas em média de 30 graus, formando as casas angulares, sucedentes e cadentes.” (DOM, p.89)
        
A Cruz Cardinal é formada pelos signos de Áries, Câncer, Libra e Capricórnio. A Cruz Fixas é formada pelos signos de Touro, Leão, Escorpião e Aquário.  “No zodíaco natural são sucedentes, pois seguem, sucedem os signos angulares. Representam, no aspecto emporal, o futuro, por isso são considerados signos de fix-ação, ou seja, fixam a ação iniciada pelos cardinais.” (DOM, p.91)

Já a Cruz Mutável é formada pelos signos de Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes.  “No zodíaco natural são cadentes, pois do ponto de vista de quem está nascendo os planetas nessas regiões estão caindo. Representam, no aspecto temporal, o passado, por isso são considerados signos de Mut-ação, ou seja, quando se tem consciência do seu passado, imediato (da presente encarnação) ou remoto(de outras encarnações), a tendência é que ocorra uma modificação, uma transformação, uma trans-mut-ação, uma modificação profunda na ação, no modo de agir,ver e atuar no mundo. A ação inconsciente, apenas consciente do mundo objetivo, e impulsiva dos cardinais é fixada, realizada, tornada concreta pelos signos Fixos, agora é Transmutada através da Compreensão do seu passado, mais consciente e conhecedor do fio contínuo do tempo-espaço, o Ser tornar-se mais evoluído e pronto para entrar numa nova fase na espiral da evolução cósmica.” (DOM, p.93)

Assim temos que em cada Cruz há 4 padrões de energia divididos em 2 eixos:

1º Eixo Pessoal (Casa 1)/Social (Casa 7)

1º Padrão semelhante, esse é o mais raro, menos energético, mais estável, ocorre quando o casal possui o mesmo signo ascendente.

2º Padrão contrário, esse é energético complementar, mas oposto, mais energético e menos estável, ocorre quando o casal possui signos ascendentes opostos.

2º  Eixo Familiar (Casa 4)/Social (Casa 10)

3º Padrão parental inverso: esse é um desafio onde à pessoa projeta no parceiro o padrão de um dos pais do sexo oposto ao seu, na mulher é a imagem do pai, no homem o da mãe. Busca-se sempre um parceiro que você detecte intuitivamente que ele representa de alguma maneira algum aspecto psicológico idêntico ao pai/mãe do sexo oposto. É energético e estável, por isso mesmo, propenso a rompimentos drásticos ao longo prazo. Ocorre quando o signo ascendente de um está conjunto à casa 4 ou à casa 10 do outro.

4º Padrão parental direto, esse é um desafio onde à pessoa projeta no parceiro o padrão de um dos pais do sexo igual ao seu, na mulher é a figura da mãe, no homem a figura do pai, isso não indica necessariamente escolhas sexuais, homoafetivas, por exemplo, embora possa ser uma pista de pesquisa para melhor compreensão do fenômeno e das razões astrogenéticas e psicológicas dessa escolha, aliás muito mal compreendida pela ciência e pela sociedade. É energético e estável, por isso mesmo, propenso a rompimentos drásticos ao longo prazo. Ocorre quando o signo ascendente de um está conjunto à casa 4 ou à casa 10 do outro.

Uma questão importante é lembrar que o padrão arquétipo não se limita apenas ao signo ascendente ou solar oposto como é comumente colocado, e mesmo nos casos práticos que encontrei nos padrões arquétipos das Cruzes, assim quando se fala em padrão arquétipo o mais preciso é analisar se no mapa do outro há predominância daquele signo em questão no ascendente, no signo solar ou da Lua, ou do signo e do regente forte no mapa, assim a atração de um par, é como se atrair aquilo que achamos que nos faz falta, embora os outros encontrem características desse signo oposto (conjuntos ou em quadratura) em nós, isso ocorre porque eles enxergam o nosso potencial não descoberto ou não trabalhado, que em geral é despertado pelo amado, pela paixão, que ativa todas as nossas potencialidades, que nos dá um elã pela vida, que nos dá um brilho no olhar que faz com que vejamos um mundo de uma maneira mais positiva e proativa. Os casais são formados por pessoas onde um tem alguma coisa que falta no outro, é como juntar oxigênio e hidrogênio  para formar a água.

Confira “Amor e Sexo” de acordo com seu ascendente: Áries, Touro, Gêmeos, Câncer, Leão, Virgem, Libra, Escorpião, Sagitário, Capricórnio, AquárioPeixes.
             

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS PERIGOS DA LUA CHEIA

O Poder e o Tempo.