FELIZ ANO NOVO! NATUREZA.

Se você tem o costume de ouvir os mais velhos, é provável que já tenha notado o tom nostálgico de suas histórias, que enfatizam de como tudo era melhor, mais tranquilo, e de que hoje tudo é apressado, corrido, desesperado. Eles reclamam de uma certa perda do ritmo natural das coisas. E eles estão certos. A maior prova de descompasso do Ser Humano atual é essa perda do ritmo natural. Um coração fora do ritmo faz a pessoa morrer por arritmia. É disso que a Terra está morrendo.

O ano novo civil é uma arbitrariedade da lei dos homens.Foi inventado para fixar numa data precisa o fim e o começo. Perdeu-se a beleza da contemplação do relógio cósmico da vida, que a todo ano se auto-ajusta, para quem não sabe calcular tem pelo menos a surpresa, trocou-se tudo isso pela chatice da exatidão.

Todo dia 31 de dezembro, à meia noite é ano novo, "faça chuva ou faça sol", não acontece nada na natureza, apenas nas gavetas, nos papéis, a única razão é o fechamento contábil do ano civil. Balancentes e orçamentos, são por causa deles que se comemoram um acontecimento vazio, que só uma frase de um genocida pode dar algum sentido, “uma mentira dita muitas vezes, torna-se uma verdade.”

Não há nada de novo nessa data. Não na Natureza, não pra mim. É na Primavera/Outono, dependendo do hemisfério, que a Natureza nos avisa que algo novo está surgindo, no Hemisfério Norte temos a predominância do signo de Áries, aquele que começa, o pioneiro, o guerreiro da frente da batalha. No Hemisfério sul temos a predominância de Libra, que começa o quê mesmo? Vamos explicar. Libra e Áries são signos cardinais, que iniciam, que impulsionam, Áries impulsiona através da energia ígnea, do fogo, Libra impulsiona através da energia eólica, do ar. Enquanto Áries impulsiona o fazer, Libra impulsiona o pensar. E pensando bem, o Outono, época das frutas, deve mesmo impulsionar muita gente a refletir sobre sua beleza, suas funções e sua importância para nossa vida.

Pelo menos eu, quando adolescente, sempre ficava pensando sobre as aulas de química e as frutas, de como a natureza fazia para colocar dentro da maçã os mesmo elementos químicos da areia e a gente ainda achar gostoso.

Pois é, isso é que é Ano Novo, um período marcante em que a Natureza avisa para todos que um novo ritmo está nascendo. Não é de se admirar que o mundo esteja morrendo, nós perdemos a sensibilidade de perceber essas mudanças, e a própria natureza percebendo essa insensibilidade, agravada pelas agressões da poluição, que já são frutos dessa insensibilidade, nos avisa de forma diferente, sua arritmia nos diz que a Terra está em convulsão, tendo espasmos, está agonizando, suando frio, se tremendo, por isso os tsunamis, os terremotos, o aquecimento global.

Se não temos algo para se comemorar, pelo menos que a chegada da primavera/outono nos impulsione a refletir, principalmente nós do Hemisfério sul, temos a obrigação de pensar e direcionar a ação das forças arianas do Hemisfério norte para que não ajam sem pensar e irrefletidamente piorem mais a situação.

Nós precisamos muito da energia do Outono/Libra, equilibradora, diplomática, cheia de equidade, de justiça, de beleza da harmonia. É o que eu peço e que desejo nesse verdadeiro ano novo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS PERIGOS DA LUA CHEIA

AMOR E SEXO: ARQUÉTIPOS ASTROLÓGICOS

O Poder e o Tempo.